historia

A jornalista comunista Rossana Rossanda se despede da vida

Rossana Rossanda morreu no domingo (20) aos 96 anos de idade. Ela foi uma partisan antifascista, atuou na Resistência durante a Segunda Grande Guerra e foi co-fundadora do jornal italiano "il manifesto". Comunista até o fim, ela insistiu que a esquerda deve defender sua própria identidade - e tomar partido firmemente com os explorados e oprimidos.

historia

Há 44 anos Orlando Letelier foi assassinado em Washington

Em 21 de setembro de 1976, Orlando Letelier, um ex-ministro do governo socialista de Salvador Allende, que vivia no exílio após o golpe apoiado pelos EUA que levou Augusto Pinochet ao poder no Chile, foi assassinado em Washington (EUA).

historia

As lutas do povo brasileiro

historia

A Grande Marcha para Washington e a conquista dos diretos civis para os negros nos Estado Unidos

Há 57 anos ocorria a histórica “Grande Marcha por Trabalho e Liberdade”, liderada pelo reverendo Martin Luther King Jr., conhecida como a “Grande Marcha para Washington”, que reuniu 250 mil pessoas vindos de diversos lugares do país em direção a capital americana.

historia

Getúlio Vargas, que se suicidou em 1954, comandou a modernização industrial e urbana do país

No dia 24 de agosto de 1954, há 66 anos, o presidente Getúlio Vargas se suicidou. Em seus últimos dias de vida ele foi atormentado por uma grande pressão por parte do exército, do congresso nacional e da imprensa. Seu suicídio causou comoção popular repercutindo nas forças políticas da época. Segundo historiadores, com esta atitude drástica ele conseguiu adiar por dez anos um golpe militar que poderia eclodir em 1954.

historia

EUA – a primeira candidata negra à presidência: Charlene Mitchell

Charlene Mitchell foi candidata, pelo Partido Comunista dos EUA, a presidente em 4 de julho de 1968. F foi a primeira mulher negra a ser indicada para a presidência nos EUA.| Arquivos do People's World.

cultura

Secos e Molhados canta: A Rosa de Hiroshima; música

historia

O Caso Volkswagen: empresa do nazismo, empresa da ditadura militar

O imperialismo alemão e suas empresas têm uma longa história de usurpação de terras, roubo de riquezas minerais e agrícolas, como também de superexploração dos trabalhadores. E os seus opositores foram tratados com violência, prisões, torturas, assassinatos e genocídio. Neste texto fazemos um paralelo desse processo de violência colonial que ocorreu na África e no Brasil. No Brasil, o imperialismo alemão apoiou e sustentou a Ditadura Empresarial Militar (1964-1985), e a empresa Volkswagen que é uma das maiores empresas alemãs, que possui uma longa tradição de práticas de violações dos direitos humanos e se apresenta como a expressão mais clara dos métodos do capital imperialista alemão. Constata-se que no dado período escondeu criminosos nazistas, e ainda junto com a polícia política prendeu e torturou trabalhadores dentro de suas instalações e como se ainda fosse pouco, se utilizaram de trabalho escravo na fazenda Rio Cristalino no Estado do Pará, que fazia parte de suas propriedades.

historia

O Caso Volkswagen: empresa do nazismo, empresa da ditadura militar

Hoje: Para fugir do passado criminoso, Volks recusa local de memória

historia

Florestan Fernandes, um intelectual do povo

Florestan Fernandes, cujo centenário se comemora hoje, 22 de julho (ele nasceu em (22/07/1920), foi um intelectual raro - de origem muito humilde, chegou aos mais altos postos na universidade, e foi reconhecido como cientista social renovador no Brasil e no exterior.