economia

Vacina, auxílio emergencial, empregos e solidariedade são as prioridades das Centrais Sindicais para 2021

Em videoconferência realizada na última terça-feira (5), as Centrais Sindicais (CUT, Força Sindical, UGT, CTB, NCST e CSB) definiram como prioridades para a atuação neste início de ano: vacina para todos, manutenção do Auxílio Emergencial e Proteção dos Empregos/salários, Empregos Já!, manutenção das campanhas de solidariedade e a luta pelo fortalecimento da organização sindical e da negociação coletiva

trabalho

Segundo Dieese, entre 2019 e 2020 houve uma explosão das negociações que mencionam o teletrabalho

economia

Pandemia gera alterações no mercado de trabalho a partir da digitalização

Segundo César Alexandre de Souza, as novas tecnologias acabam com alguns postos de trabalho, ao mesmo tempo em que criam outros

economia

Miguel Torres faz balanço de 2020 e analisa perspectivas neste 2021

Presidente da Força Sindical faz balanço de 2020 e analisa perspectivas das lutas trabalhistas neste 2021. A entrevista foi feita pelo site TUTAMÉIA, serviço jornalístico criado por Eleonora de Lucena e Rodolfo Lucena.

trabalho

Excesso de trabalho e pandemia podem desencadear Síndrome de Burnout

Burnout é um transtorno psíquico de caráter depressivo, com sintomas parecidos com os do estresse, da ansiedade e da síndrome do pânico, mas no qual o especialista percebe a associação com a vida profissional da pessoa.

trabalho

Os desafios para 2021; opinião dos presidentes das centrais sindicais

Duas medidas são urgentes para superar esta fase crítica que o país atravessa. São elas: Realizar rapidamente uma campanha nacional de vacinação, mantendo, ao longo do processo, as medidas sanitárias indicadas pela OMS. Renovar o Auxílio Emergencial até o controle da pandemia. Não faz sentido abolir este recurso, uma vez que o vírus ainda ameaça a população

economia

Fim do auxilio emergencial agravará desemprego e pobreza. ‘Cenário triste em 2021’

Após resistir a benefício de R$ 600, reduzir a R$ 300 e decretar fim do auxílio emergencial, governo levará economia a mais desemprego e castigará informais

economia

Programa de redução de salário e suspensão de contratos de trabalho chega ao fim na 5ª

A reportagem da jornalista Marta Cavallini, para o portal G1, esclarece que as empresas devem encerrar os acordos feitos com os funcionários, que têm direito a estabilidade pelo mesmo período em que tiveram a relação de trabalho alterada. Veja como ficam os trabalhadores

trabalho

Transformação digital em relações de trabalho é acelerada por pandemia

Com a adoção do chamado novo normal, ou seja, novos hábitos de segurança sanitária e distanciamento social, muitos trabalhadores que estavam em casa tiveram que voltar, mesmo que em esquema de revezamento, para seus locais de trabalho.

politica

Luta intensa em 2020. Que venha 2021!;artigo dos presidentes de centrais

Mesmo diante da grave crise e insegurança econômica, os sindicatos atuaram de maneira vigorosa, e dentro dos protocolos sanitários, para realizar as campanhas salariais, renovar os acordos e convenções coletivas, proteger os empregos, os salários e os direitos, conforme indicam os dados do Balanço das Negociações produzido pelo DIEESE.