Colunista José Pereira dos Santos

O valor da PLR

No ano 2000 foi promulgada a Lei 10.101. Essa lei vinha pôr em prática o que já constava na CLT e na própria Constituição de 1988. Era um avanço, pois normatizava a ideia de que o trabalhador tem direito a participar dos lucros e/ou resultados da empresa (PLR).

O que vi na Rússia

Na última quinzena de agosto, participei na Rússia de uma competição muito interessante: a 45ª edição da WorldSkills. Trata-se da maior competição de educação profissional do mundo.

O grande Getúlio Vargas!

No dia 24 de agosto de 1954, o Brasil foi sacudido pelo episódio político mais dramático da nossa história contemporânea. Naquela data, matava-se o presidente Getúlio Vargas, recolhido no Palácio do Catete, sede do governo federal, Rio de Janeiro.

Emprego, vida e morte!

Pacto produtivista

O Brasil precisa crescer. E isso é urgente. Precisa crescer, gerar empregos e distribuir renda. Se não fizermos isso, e rapidamente, o País será empurrado definitivamente para o Terceiro Mundo e à condição de colônia exportadora de matéria-prima barata aos países ricos.

Armadilhas no FGTS

É de 1966 a lei que criou o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O texto original da lei deixa claro seus objetivos. Primeiro: formar um fundo de reserva do empregado, para indenizá-lo em caso de demissão sem justa causa.

Indústria à beira do abismo

De janeiro a maio, 2.325 fábricas foram fechadas no  Estado de São Paulo. Vou repetir, só em nosso Estado, em apenas 150 dias, perdemos 2.325 indústrias. Isso dá, em dias corridos, a média diária de 15,5 fábricas fechadas.

Essa reforma, não!

O sindicalismo sempre defendeu reformas. Caso emblemático foi o apoio às reformas de base propostas pelo presidente Jango. Para o sindicalismo, cada reforma produz um avanço e este cria condições pra novos avanços.

É hora de reagir!

Quando Michel Temer aprovou a reforma trabalhista, ele alegava que os empregos voltariam. O sindicalismo dizia que não, porque aquela reforma, acompanhada de duro ajuste fiscal, só agravaria a recessão. Foi o que aconteceu. Em maio deste ano, o Brasil gerou só 32.140 vagas formais. Insuficientes pra mexer no quadro nacional, que mostra um contingente superior a 28 milhões de pessoas desempregadas ou trabalhando menos do que gostariam ou desistiram de procurar emprego.

Nosso País afunda

O jornal O Estado de S. Paulo, do dia 23, mostra que nos últimos cinco anos os salários perderam 16% do poder de compra. Entre os mais pobres, a perda média chega a 20%, de acordo com dados do IBGE. Ou seja, nosso País afunda. Quem vai responder por isso?