PUBLICADO EM 20 de maio de 2018
COMPARTILHAR COM:
Colunista João Carlos Gonçalves (Juruna)

Panfletagem virtual

Juruna

Ao usar hoje o Facebook, o Twitter, o celular ou tablet para enviar mensagens, ou conversar com pessoas, abrir as páginas de entidades para ver suas mensagens ou mesmo ler os jornais no computador, deu-me nostalgia de outros tempos.

Tempo em que para saber noticias ou informações você tinha que ler o jornal, ouvir o rádio, escrever e receber cartas. Telefone, a classe operária não tinha acesso.

Nossos sindicatos para se comunicar contavam apenas com seus jornais, os panfletos, e com a comunicação oral de seus militantes no dia a dia do local de trabalho.

Clque na imagem para abrir página

Mas eu sei que as novas tecnologias estão aí. Elas são expressão cada vez mais forte dos novos tempos. E isso não é ruim. Ao contrário. As novas ferramentas de comunicação são mais acessíveis e populares e, acredito que, se bem utilizadas, podem favorecer os trabalhadores, o movimento sindical. Basta que o sindicato invista nessa área, com a contratação de pessoas e equipamentos e formação de seus dirigentes.

Deixar seus associados ou sua base apenas a mercê das informações dos rádios, televisões e jornais pode ser uma cilada para o movimento sindical. Isso porque o noticiário é editado…e “bem editado”: uma manifestação na rua por melhores salários, por exemplo, torna-se apenas uma notícia sobre o trânsito congestionado.

Um dado positivo é o aumento de utilização dos computadores e dos telefones com internet em nosso país. Esse aumento com certeza também atinge a classe trabalhadora.

Clque na imagem para abrir página

Espero que essa ideia avance nas mentes de nossos sindicalistas. Da mesma forma que outrora usávamos o fax, dependíamos mais do telefone fixo, hoje, com certeza, eles poderão fazer dos computadores, telefones celulares, novos instrumentos de sua atividade de militância e contato com os associados e sua base.

Por isso afirmo que é preciso passar por cima da nostalgia e valorizar as ferramentas que estão aí. Buscar aprender a usá-las e também incentivar nossos companheiros e companheiras a utilizarem também da militância virtual. Deixar esse espaço só para o lado contra nós é perder de goleada.

Boa panfletagem virtual!

Obs: Tem certas coisas que continuam no corpo a corpo. Como essa: Amanhã, dia 21/05, estaremos junto com o Ramalho, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de SP, no Obra Even, com 600 trabalhadores,  dando continuidade à greve de campanha salarial.

Joao Carlos Gonçalves, Juruna, Secretário Geral da Força Sindical

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS

QUENTINHAS