PUBLICADO EM 19 de fev de 2020
COMPARTILHAR COM:
Colunista Val Gomes

Crônicas do metrô (n° 1)

Por volta das 19h30, um grande silêncio de vozes pairava no lotado carro p211 do trem de metrô.

Devia ser o nosso cansaço geral.

Noite de chuva, ninguém fantasiado para o Carnaval e nenhuma vontade de falar com alguém do lado sobre as notícias do dia.

Prevaleciam o som do carro nos trilhos, os avisos sonoros, os ruídos dos fones de ouvido de celulares e alguns narizes gripados.

Com o passar das estações, algumas vozes, de variadas idades, tomam coragem e expressam as palavras ausentes na maior parte do trajeto.

Todos estamos mais próximos de nossas respectivas tocas e talvez um pouco eufóricos com o necessário descanso noturno para a lida do amanhecer seguinte.

Val Gomes é jornalista, assessor de imprensa do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS

QUENTINHAS