PUBLICADO EM 15 de out de 2020
COMPARTILHAR COM:

Negociações entre o SINTETEL e a Nextel prosseguem sem definições

Nesta quarta-feira, 14/10, o SINTETEL se reuniu com a Nextel na segunda rodada de discussões do Aditivo ao Acordo Coletivo de Trabalho 2019/2021 e PPR 2020.

De acordo com a empresa, após a aquisição da Nextel, a intenção é adotar o modelo Claro de Acordo Coletivo. A negociação desta quarta-feira girou em torno das necessárias e devidas adaptações para unificar o ciclo das negociações.

A direção do SINTETEL concorda com a dinâmica, porém não admite prejuízos aos trabalhadores.

A empresa efetuou a seguinte proposta:

• PPR – A empresa não quer estender o programa aos trabalhadores comissionados oriundos da Nextel.
• Adiantamento salarial – a empresa quer extinguir o adiantamento salarial.
• Auxílio creche: a partir de jan/21 unificar os benefícios, sendo atualmente de R$ 402 para crianças de até 06 anos e passará para R$ 516,41 para crianças de até 07 anos.
Atualmente esse benefício contempla também os pais e a empresa quer retirar este direito para quem solicitar esse benefício a partir de jan/21.
O SINTETEL reivindicou a manutenção do benefício para quem já utiliza hoje.
• Auxílio educação especial: A partir de fevereiro/21 passará de R$ 803,99 para R$ 856,61.
• Assistência médica: mudança para o plano que é utilizado pela Claro a partir de jan/21.
• Assistência odontológica: mudança para o modelo que é utilizado pela Claro a partir de set/21.
• Auxílio educação especial: A partir de fevereiro/21 passará de R$ 803,99 para R$ 856,61.

A direção do SINTETEL em seguida apresentou a seguinte contraproposta:

• PPR – o Sindicato não concorda que os trabalhadores comissionados oriundos da Nextel não recebam o PPR.
Além disso, reivindica a antecipação de um salário a ser pago ainda neste ano.
• Adiantamento salarial – o Sindicato entende que antes da padronização para o término do adiantamento salarial, seja dado um prazo para os trabalhadores fazerem as devidas adequações econômicas.
O SINTETEL sugeriu que isto seja aplicado a partir de fevereiro de 2021.
• Auxílio educação, assistência médica, auxílio creche, assistência odontológica – reivindicamos que seja aplicado em dezembro/2020.
Além disso, o SINTETEL reivindica um abono de 60% de um salário, sem limite e com mínimo de R$1.500 pagos ainda neste ano.
• VA/VR – queremos a aplicação do INPC na data-base que é 1º de setembro.
• Garantia de pagamento do abono para os demitidos a partir data-base.
• Garantia de empregos.
• Que as homologações sejam feitas no Sindicato.
As negociações prosseguirão em 30/10/2020.

Fonte: Sintetel

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS

QUENTINHAS