José Raimundo de Oliveira

O bolsonarista é, antes de tudo, fascista

Ao contrário do que vem afirmando parcela da mídia hegemônica, as manifestações pró-Bolsonaro, de 7 de setembro, não foram nada pacíficas pois preconizavam pela violência ao defender o fim do STF e do Congresso Nacional, a volta da ditadura militar. Enfim, um atentado contra a democracia. Tratou-se de uma violência...

Clemente Ganz Lúcio

Senado barra programas e medidas de precarização do trabalho

Desafios do emprego continuam e são complexos O governo federal tem abusado do expediente de atuar por Medida Provisória (MP), utilizando-se dessa ferramenta para “governar por decreto” em assuntos que fogem do escopo desse instrumento. E tem ido ainda mais longe ao usar as MPs para fazer mudanças normativas permanentes,...

João Guilherme Vargas Netto

Um dia depois do outro

Felizmente os terremotos previstos para acontecer no 7 de Setembro não derrubaram nada, embora façam tremer a superfície e invertam a sabedoria portuguesa: as piores consequências já aconteciam antes. Com efeito, os problemas do povo e particularmente dos trabalhadores continuaram como antes – doença, desemprego, carestia – e muito pouco...

Edson Dias Bicalho

Sem emprego, com fome e no escuro

Está realmente difícil o Brasil engrenar e mudar o curso de empobrecimento. Atualmente, são mais de 14 milhões de pessoas desempregadas e boa parte passa fome. Somos o segundo maior exportador de alimentos do mundo, segundo a Organização Mundial do Comércio (OMC), mas Relatório da Organização da ONU para Agricultura e Alimentação (FAO) estima que 23,5% da população brasileira tenha vivenciado insegurança alimentar moderada ou severa entre 2018 e 2020. De 2020 para cá, com a pandemia de coronavírus, a situação só pirou. E, infelizmente, parece que está longe desse cenário mudar.

Eliseu Silva Costa

A Política criminosa da Insanidade

Então assistimos a mais um espetáculo da incompetência e da falta de foco deste governo no Dia da Independência. Milhares e milhares de seguidores cegos pelo ódio e pela ignorância de um “líder” insano e desesperado foram às ruas pedir absurdos tais como fechar o STF, o Congresso Nacional, a volta do AI-5, intervenção militar, Golpe de Estado, voto impresso e outras sandices que em nada, absolutamente nada, poderia melhorar a situação do país. De fato, o que assusta, é a total irresponsabilidade e alienação de um Presidente da República que, dia após dia, faz de tudo para dividir cada vez mais a população de seu país e manter-se no Poder.

Igor Felippe Santos

A batalha do 7 de setembro e a centralidade das ruas

O 7 de setembro marca uma nova fase da luta política, com o acirramento da disputa e as manifestações de rua ganhando centralidade. No dia da Independência do Brasil, houve mobilizações da corrente neofascista que apoia o presidente Jair Bolsonaro e das forças progressistas, conduzidas pelas frentes Brasil Popular e...

Alex Saratt

Sobre o negacionismo

Negacionismo não é só fake news e absurdos toscos, delírios e histerias. Nunca deve ser confundido com uma espécie de irracionalismo que beira o animalesco, pois faz parte de um conjunto articulado, inteligente, proposital, metódico, pedagógico, instrumentalizado que visa estabelecer um projeto de sociedade, um modelo de comportamento e uma...

Paulo Henrique Viana, Paulão

7 de setembro e o Apocalipse ideológico!

Há tempos que o povo brasileiro tem como prática se manifestar quando algo não vai bem na economia, na política, até na sociedade. A história do Brasil é contada por inúmeros episódios de manifestações, onde sempre houve grupos interessados pela pauta em questão, para isso, esses grupos sempre movimentaram as...

Valdete Souto Severo

O que será o amanhã?

[caption id="attachment_61404" align="alignleft" width="300"] Valdete Souto Severo, (Arquivo Pessoal)[/caption] "Vossos peitos, vossos braços São muralhas do Brasil" (Hino da Independência) Em uma época na qual a maior parte do povo brasileiro era formado por pessoas escravizadas, nossa independência foi declarada pelo príncipe e teve como tema um hino em que...

Miguel Torres

Derrota da MP 1.045 foi vitória relevante do sindicalismo

Nossa vitória contra a MP 1.045 no Senado e todas as mazelas e perversidades que a proposta aprovada pelos deputados traria para os trabalhadores não foi o êxito de uma batalha qualquer