Marcos Aurélio Ruy

Turma do TST tem maioria em favor do vínculo entre motorista e Uber

[caption id="attachment_73601" align="alignnone" width="1024"] Foto: PixaHive[/caption] Ao formar maioria no reconhecimento do vínculo empregatício de um motorista da empresa de aplicativo Uber, a 3ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST), nesta quarta-feira (15), conforme informa o site InfoMoney, “dá uma esperança de que uma sociedade civilizada necessita de leis...

João Guilherme Vargas Netto

Ano terrível

Ainda bem que ele está terminando. Arrastando as desgraças do ano anterior com milhares de mortos e milhões de adoecidos, 2021 as intensificou – menos a mortandade da doença mitigada pela vacinação. A fome se disseminou, o desemprego assola e os salários despencaram. Muito pouca coisa a comemorar, mesmo para...

Frazão Oliveira

Professores podem pagar caro por serem em sua maioria despolitizados

Professores do Brasil, classe … despolitizada em sua maioria, não será difícil os prefeitos sabotarem em Brasília está semana, a Lei do Piso Salarial da categoria. Dos 513 deputados federais da atual legislatura, Bolsonaro e os prefeitos contam com o apoio de 380 deputados de direita e extrema direita. E...

Oswaldo Augusto de Barros

A busca através da crença em você

Não é a tecnologia que nos afasta das pessoas, com formas e meios de comunicação cada vez mais simples de dominar. Esse domínio talvez esteja no isolamento que o próprio ser humano busca para satisfazer seu orgulho ou ego.

Clemente Ganz Lúcio

Desafios para o sindicalismo a partir de 2022: mudar radicalmente o rumo do desenvolvimento do país

[caption id="attachment_73419" align="alignnone" width="758"] Operários, quadro pintado em 1933 por Tarsila do Amaral[/caption] Por Clemente Ganz Lúcio As mudanças no mundo do trabalho avançam e a organização sindical vai se distanciando dessa nova dinâmica. É urgente avançar na reestruturação do movimento sindical. A esquerda somente poderá tirar partido disso se...

João Guilherme Vargas Netto

Quanto mais eu rezo…

…mais sombração me aparece, devem pensar os dirigentes sindicais ao reagirem com a contundente nota das centrais à publicação dos trabalhos do Gaet, cozidos em forno durante a pandemia. O Gaet (Grupo de Altos Estudos Trabalhistas; quase que substituo na palavra “Altos” a letra l pela letra u, dado o...

Jenny Farrell

Em busca do romance marxista

[caption id="attachment_73295" align="alignleft" width="450"] Sally Rooney[/caption] Nas últimas semanas, a bem sucedida escritora irlandesa Sally Rooney, de 30 anos, tem estado nas manchetes. Após sua recusa em conceder os direitos de tradução de seu novo romance “Belo mundo, onde você está” (2021) à editora israelense Modan, setenta autores proeminentes apoiaram agora sua...

Jenny Farrell

Abdulrazak Gurnah, de Zanzibar, Nobel de Literatura de 2021, dá voz aos refugiados

Wole Soyinka foi o primeiro escritor africano negro a receber o Prêmio Nobel de Literatura, em 1986. Outros ganhadores do Prêmio Nobel do continente africano são Nagib Mahfuz (Egito), Nadine Gordimer e J. M. Coetzee (ambos da África do Sul). O escritor nigeriano Chinua Achebe, que morreu em 2013, e que é considerado um dos pais da literatura africana moderna, nunca recebeu o prêmio. Muito provavelmente, nem o marxista queniano Ngugi wa Thiong'o, que tem sido fortemente favorecido nos últimos anos. Os autores nigerianos Chimamanda Adichie e Nuruddin Farah, da Somália, são repetidamente mencionados como outros autores africanos dignos do prêmio. Mas nenhum autor africano negro foi considerado para o prêmio da Academia Sueca desde Soyinka - até este ano, quando Abdulrazak Gurnah, nascido em Zanzibar, foi inesperadamente declarado ganhador do Prêmio Nobel de Literatura.

Professora Francisca

Nada vale a pena se a alma for minúscula

Parafraseando a famosa frase do grande poeta português Fernando Pessoa (1888-1935) “tudo vale a pena se a alma não é pequena”, digo que nada vale a pena se a alma for minúscula, como é o caso do ocupante do Palácio do Planalto e de sua equipe. Digo isso porque o...

Sergio Nobre

O emprego vaza para um paraíso fiscal

[caption id="attachment_33653" align="alignright" width="230"] Sérgio Nobre presidente da CUT[/caption] Ao caminhar pelas ruas, constato o aumento da quantidade de prédios com portas fechadas e, nelas, placas de “aluga-se” e “vende-se” ocupam o lugar do “temos vagas”. São pessoas que não conseguem arcar com o custo dos aluguéis, empresas destruídas pela...