João Guilherme Vargas Netto

4 x 4

Depois de várias entrevistas, discussões com dirigentes e reuniões com importantes organizações do movimento sindical apresento a lista do que considero os quatro grandes feitos sindicais em 2017 e as minhas quatro maiores preocupações para 2018. O ano sindical de 2017 foi muito pesado e muito negativo em sua totalidade, uma cordilheira com altos e […]

Paulo Pereira da Silva (Paulinho da Força)

2018: um ano de muitas lutas!

Daqui a alguns dias o ano de 2017 chega ao seu final. E não deverá deixar muita saudade! Afinal, foi – e por enquanto ainda está sendo – um ano bastante atribulado, repleto de dúvidas e incertezas quanto aos rumos tomados pela economia nacional e escancarando, de vez, as desigualdades sociais que tanto penalizam a […]

Mônica Veloso

Não à violência contra as mulheres

A violência e o assédio contra as mulheres nos locais de trabalho foram um dos principais temas da reunião realizada em novembro pelo Comitê de Mulheres da IndustriALL Global Union(1)  em Colombo, no Sri Lanka, na Ásia. Na ocasião, nós, dirigentes sindicais mulheres de várias regiões do mundo, reforçamos o apoio à campanha mundial da IndustriALL contra […]

João Guilherme Vargas Netto

O papel das centrais sindicais

Para definir hoje no Brasil o papel das centrais sindicais nada melhor que a declaração de objetivos do Conselho Sindical de Londres em 1861: “Zelar pelos interesses gerais dos trabalhadores, tanto políticos como sociais, dentro e fora do Parlamento; usar sua influência em apoio de qualquer medida que possa beneficiar os sindicatos.” O Conselho havia […]

Adilson Araújo

CTB, 10 anos de uma central classista e de luta

Ao completar 10 anos, a CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil) não só confirma sua trajetória de resistência, aprendizado e solidariedade frente aos atuais desafios que o Brasil atravessa, ela referenda seu projeto de sindicalismo classista e seu compromisso em construir um projeto nacional que tenha por centro a valorização do trabalho. Quando […]

João Carlos Juruna

Um ano para mudarmos o País!

A classe trabalhadora e o povo brasileiro não podem servir de “bodes expiatórios” para experimentos econômicos fadados ao fracasso. É hora do diálogo entre todos os atores sociais. É hora de, juntos, arregaçarmos as mangas e colocar a mão na massa para dar início à reconstrução nacional almejando o Brasil que queremos para nós, nossos filhos e netos.

Claudia Santiago Giannotti

Sobre comunicação sindical e jornalismo: NÃO às demissões!

Pelo jeito, parece que, por mais que tenhamos nos esforçado, sindicatos e centrais sindicais não entenderam nada do que significa o jornalismo sindical. Obviamente me sinto sem chão ao me deparar com a recente onda de demissões de jornalistas na área. Afinal, há trinta anos, minha principal ocupação tem sido fazer jornalismo sindical e conversar […]

Sergio Luiz Leite (Serginho)

Uma perspectiva estratégica do movimento sindical para 2018

O ano de 2018 já se apresenta especialmente desafiador ao movimento sindical e à classe trabalhadora brasileira. A reforma trabalhista que entrou em vigor no dia 11 de novembro de 2017 representa um retrocesso incomensurável no âmbito dos direitos trabalhistas e um ataque frontal às entidades sindicais. Contudo, este não é o momento para lamentações, […]

Marcos Verlaine

Histeria contra corrupção encobre nossos reais dilemas

Essa histeria de setores da sociedade brasileira contra a corrupção, estimulada pela grande mídia, ajuda a esconder o debate que de fato interessa ao povo brasileiro. Os números são reveladores. Vamos compará-los, refletir sobre e questioná-los. Isto poderá ajudar a entender a quem interessa esse “não debate” que consome o país. E por quê?

Paulo Pereira da Silva (Paulinho da Força)

O país que queremos!

Nosso País vem enfrentando sérios problemas, frutos de equívocos cometidos ao longo dos anos. E as consequências estão aí: juros altos, crédito caro, falta de investimentos no setor produtivo, baixo consumo, mais de 12 milhões de desempregados, crianças e jovens fora das escolas, falta de moradias. E setores vitais para que qualquer País do mundo […]