PUBLICADO EM 12 de mar de 2020
COMPARTILHAR COM:
Colunista Luiz Antonio Medeiros

Suspendam todos os atos que possam aglomerar pessoas

Como dirigente sindical metalúrgico e fundador da Força Sindical, quero apelar para que as Centrais Sindicais, com toda responsabilidade que têm com a população brasileira, os trabalhadores e suas famílias, decidam imediatamente pela suspensão de todos os atos por elas anteriormente convocados, que signifiquem aglomerar pessoas em locais públicos.

Diante da pandemia provocada pelo coronavírus, anunciada ontem pela OMS – Organização Mundial da Saúde – impõe-se a mais severa e prudente cautela que possa evitar e impedir ao máximo a proliferação de novos contágios e enfermidades.

Que as centrais manifestem também nosso  total apoio e incentivo àquelas medidas indicadas com determinação e clareza pelas autoridades sanitárias do país, e os poderes, executivos, legislativos e judiciários, em todos os níveis.

Em meu entendimento, nosso empenho unitário e nacional nos próximos dias, deve ser o de trabalhar para esclarecer a população sobre as melhores práticas para conter essa grave doença contagiosa, que tem assumido proporções dramáticas e inimagináveis em todo o mundo. Por isso, com muita determinação, a hora agora é de dizer NÃO a aglomerações humanas que possam facilitar a porta de entrada do COVID-19, sobretudo em pessoas mais idosas e enfermas.

Luiz Antônio Medeiros é metalúrgico, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, fundador da Força Sindical,  foi deputado federal e Secretário de Coordenação das Subprefeituras de São Paulo entre 2015 e 2016.

 

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS

QUENTINHAS