PUBLICADO EM 26 de jan de 2022
COMPARTILHAR COM:
Colunista Josinaldo José de Barros (Cabeça)

Arroz, feijão e mistura

O povo tem necessidades reais. Só após conseguir dar conta dessas necessidades é que as pessoas, no geral, tratam de outros assuntos. Sejam eles política, futebol, religião etc.

Qual a grande necessidade do brasileiro, hoje? Emprego. Se tiver emprego, a pessoa reorganiza a sua vida, recompõe suas relações familiares, readquire algum poder de compra, passa a ter direitos. Ou seja, recupera seu papel de cidadão.

Qual a segunda grande necessidade do brasileiro, atualmente? Vacina, principalmente das nossas crianças. Com vacina no braço, a pessoa rompe (com os devidos cuidados) o isolamento provocado pelo vírus, voltando ser plenamente produtiva para si e ao País.

Há outra precisão urgente das famílias: é quitar dívidas, limpar o nome, poder voltar a comprar no crediário. Para tanto, este ou um futuro governo precisa combinar duas ações: renegociar essas dívidas, em suaves prestações, e dar aumento real para o salário mínimo.

O que o sindicalismo tem a ver com isso? Tudo, porque o primeiro compromisso sindical é lutar pra manter os empregos atuais e cobrar a geração de novos postos de trabalho.

Nenhum Sindicato consegue isso sozinho. Mas se houver união de forças e, principalmente, boa vontade do prefeito, do governador e do presidente da República, fica mais fácil defender os empregos e gerar novos.

A classe patronal também pode ajudar se cobrar dos poderes políticos apoio à produção, incentivo à indústria e apoio às micro e pequenas empresas. A classe empresaria precisa ser menos passiva ou omissa.

A humilhação do trabalhador é abrir sua marmita só com arroz, feijão e, quando muito, um bife duro, com carne de terceira. A tristeza da família trabalhadora é chegar no domingo e não ter a mesa mais repleta e farta.

Quando digo arroz, feijão e mistura, quero dizer exatamente isso mesmo: o direito do brasileiro de comer seu arroz com feijão e de ter mistura no prato, todo dia.

No caso do nosso Sindicato, temos buscado o pagamento de PLR (Participação nos Lucros e/ou Resultados) pra 100% da base metalúrgica. Ou seja, garantir com esse benefício mistura boa e qualidade de vida.

Portanto, se a sua empresa não paga PLR, procure o Sindicato. Fale com um dos nossos diretores, que nós iremos juntos buscar esse direito. Telefone fixo: 2463.5300. Nosso WhatsApp: (11) 4965.9304.

CLUBE – A diretoria está, passo a passo, melhorando nosso Clube de Campo, no Parque Primavera. No último final de semana, muitos metalúrgicos passaram por lá. Fiquem tranquilos: sem aglomeração, porque o Clube tem sete alqueires e os equipamentos têm a necessária distância uns dos outros.

Frequente o Clube, de quinta a domingo. Se não faz parte da categoria, não tem problema. Qualquer cidadão pode associar-se. Você é pescador? Então, aproveite nosso pesqueiro no Clube. É muito bom!

Josinaldo José de Barros (Cabeça), presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos

As opiniões expostas neste artigo não refletem necessariamente a opinião do Rádio Peão Brasil

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS

QUENTINHAS