PUBLICADO EM 28 de abr de 2022
COMPARTILHAR COM:
Colunista José Raimundo de Oliveira

A pacificação do Brasil virá com Lula eleito presidente, ou então não virá!

No Brasil, políticos, empresários, artistas, apresentadores de programas de TV e outros muitas vezes sem nenhuma representatividade política, ou com baixa representatividade e localizada territorialmente, mas para querer se sobressair, aparecer perante o distinto público, costumam fazer afirmações em nome de todo o povo brasileiro, como se este lhe tivesse assinado procuração para tanto. Ridículo, no meu modo de ver, esse tipo de atitude.

É o caso da senadora Simone Tebet/MDB do Mato Grosso do Sul e pré-candidata à presidência da República, neste momento com 1% nas pesquisas de intenções de voto, ao afirmar esses dias, em entrevista ao jornal Estado de Minas, que “O Brasil quer pacificação sem Bolsonaro e Lula”. Com todo respeito, a senadora deveria tomar ‘Semancol’, pois se recusa a enxergar a sua baixíssima intenção de votos, assim como a situação dos demais candidatos a sua frente.

Sou oposição a Bolsonaro e espero que, já no primeiro turno das eleições de outubro, a maioria do eleitorado lhe imponha uma fragorosa derrota. Porém, não posso ignorar, como faz Tebet, que ele está com 30% das intenções de voto e Lula com 45%. Então, como é que o povo quer pacificação sem Bolsonaro e Lula? Fala a meu ver inadequada esta da senadora!

Penso que nessa história o pacificador não será Bolsonaro que tem demonstrado ser um tremendo encrenqueiro, desagregador, e uma ameaça à democracia, nem Simone Tebet que, como disse acima, está emperrada com 1% nas pesquisas, mas Lula da Silva que, além de liderar as intenções de votos, já provou essa condição como presidente do Brasil por dois mandatos e encerrando o seu último com aprovação pessoal de 87%. Está dito!

José Raimundo de Oliveira é historiador, educador e ativista social.

As opiniões expostas neste artigo não refletem necessariamente a opinião do Rádio Peão Brasil

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS

QUENTINHAS