PUBLICADO EM 19 de dez de 2017
COMPARTILHAR COM:
Colunista Miguel Torres

Uma reflexão para 2018

A classe trabalhadora brasileira e o movimento sindical têm sido duramente atacados por medidas cruéis do governo e seus aliados patronais no Congresso Nacional.

Como se não bastassem o congelamento dos investimentos sociais, a terceirização sem limites e a “reforma” trabalhista, o governo tenta a todo custo impor uma “reforma” da Previdência Social que, se for aprovada, reduzirá os benefícios e exigirá esforços sobre-humanos para os trabalhadores se aposentarem.

Vamos resistir, dialogando com as lideranças políticas, chamando o povo pra luta e criando um clima que faça com que o parlamento não vote a “reforma” da Previdência. *Se botar pra votar, o Brasil vai parar!*

Sou daqueles que, em respeito à história de lutas e conquistas da classe trabalhadora brasileira, prefere continuar acreditando que será possível sim fortalecer as ações coletivas unificadas contra os ataques aos direitos sociais, trabalhistas e previdenciários.

• Por isto criamos neste ano o movimento Brasil Metalúrgico e fortalecemos as significativas ações das centrais sindicais.

• Por isto celebramos a Revolução Russa, o movimento mundial de trabalhadores e os 100 anos da primeira greve geral no País (a de 1917), apoiando o Centro de Memória Sindical na edição de uma brilhante revista sobre o tema.

• Por isto lutamos e negociamos para garantir a manutenção dos direitos dos trabalhadores nas Convenções Coletivas.

Este é, enfim, um breve resumo de como foi 2017: um ano difícil, mas de muita reflexão e luta!

Agora vamos renovar as energias para retomar a luta em 2018, com mais companheirismo, coragem nas ações e esperança em dias melhores para todos os brasileiros e todas as brasileiras.

Finalmente quero aqui desejar a todos os amigos e amigas e a todas as famílias: boas festas, um Natal repleto de paz, harmonia e amizade e uma excelente passagem de ano!

Miguel Torres

Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes e da CNTM e vice-presidente da Força Sindica

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS

QUENTINHAS