PUBLICADO EM 16 de nov de 2020
COMPARTILHAR COM:
Colunista Artur Bueno de Camargo

O comportamento do presidente

Inicialmente, meu sentimento a todas as famílias enlutadas em consequência da perda de entes queridos pela Covid-19, e minha solidariedade a todos os amigos pelo sofrimento. E meu repúdio a todos aqueles que têm demonstrado desrespeito e desconsideração para com as vítimas desta pandemia.

Meu maior repúdio ao chefe maior do Estado, senhor Jair Bolsonaro, que desde o início da pandemia têm se demonstrado insensível perante o sofrimento das pessoas, além de irresponsável no cumprimento das regras de segurança e recomendações da vigilância sanitária, dando péssimo exemplo.

Esses últimos episódios protagonizados por Bolsonaro ultrapassaram todos os limites de tolerância possível de suportar para qualquer pessoa com o mínimo de sensibilidade. O Presidente da República manifestar satisfação pela interrupção do desenvolvimento de uma vacina que pode vir a salvar vidas e devolver a liberdade às pessoas é inadmissível. Além de outras bobagens ditas em sequência nos últimos dias.

Em minha opinião, com minha experiência lidando com pessoas ao longo de toda minha vida no movimento sindical, mesmo não sendo médico ou psicólogo, e com todo o respeito ao cargo de presidente da república que o senhor Jair Bolsonaro ocupa, para o bem de toda a sociedade brasileira, já é hora de o senhor presidente ser submetido a um exame de sanidade mental. Antes que seja tarde demais.

Artur Bueno de Camargo é presidente da CNTA Afins

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS

QUENTINHAS