PUBLICADO EM 23 de maio de 2019
COMPARTILHAR COM:
Colunista José Calixto

A Nova Central e a Greve Geral do dia 14 de Junho

A respeito da Greve Geral programada para o dia 14 de Junho, cumprimos o dever de nos dirigir às entidades que compõe nossa malha orgânica para alguns esclarecimentos. Movimentos paredistas desta natureza, não são realizados diretamente pelos presidentes das entidades de cúpula. São os sindicatos de base que conquistam apoio adesão a esse tipo de mobilização. Portanto, consideramos que seria imprudente impor a participação de qualquer filiado. No entanto, é dever e nossa responsabilidade nos posicionar institucionalmente e sugerir encaminhamentos.

É de conhecimento de todos o nosso descontentamento com a agenda do governo que retira direitos trabalhistas e sociais, ao mesmo tempo em que busca diversos mecanismos para estrangular financeiramente as instituições de ensino e, particularmente, as entidades sindicais – trincheira natural de resistência à esse desmonte de qualquer resquício de Bem-Estar Social resultante da Constituição de 1988. Existem motivos de sobra para organizarmos uma reação à altura desses ataques que atingem a classe trabalhadora, sua representação sindical e a própria sociedade.

Pelas razões expostas, a Nova Central apoia e recomenda a participação de suas entidades filiadas nesse movimento paredista. Nossa recomendação, no entanto, é que a greve seja um movimento pluralista, disposto a agregar todos os segmentos da sociedade, sem distinção. Sugerimos que tenhamos prudência e maturidade para evitar, na medida do possível, discursos de caráter político/partidário.

Munidos das melhores intensões, estamos seguros de que a soma de nossos esforços trará bons frutos.

Abraço fraterno do companheiro Calixto.

José Calixto Ramos
Presidente da NCST

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS

QUENTINHAS