PUBLICADO EM 18 de jul de 2021
COMPARTILHAR COM:
Colunista Miguel Torres

Não aceitamos reforma tributária que tira direitos dos trabalhadores

“É grave a proposta do governo de inserir na reforma tributária um item que pode acabar com o vale-refeição e o vale-alimentação. Vamos pressionar o Congresso Nacional para que os parlamentares não aprovem tal medida e usaremos os protestos de sábado, 24 de julho, Dia de Luta pelo Fora Bolsonaro, para denunciar mais esta barbaridade do governo.

A proposta, em resumo, é acabar com o incentivo fiscal tributário aplicado no PAT (Programa de Alimentação ao Trabalhador), que beneficia empregadores e facilita a destinação destes benefícios atualmente a mais de 22 milhões de trabalhadores e trabalhadoras.

Por intermédio do PAT, a classe trabalhadora tem alimentação nas empresas e fábricas, o tíquete refeição e/ou o cartão alimentação usado na compra de alimentos. Estes vales, enfim, fazem parte da renda do trabalhador e beneficiam inclusive o comércio, os supermercados, os bares e os restaurantes etc. que aceitam esta forma de pagamento e, portanto, poderão ser também muito prejudicados.

Não tem cabimento avançar este tipo de proposta, ainda mais em tempos de crise, de pandemia, com auxílio emergencial limitado e reduzido, desemprego, alto custo de vida corroendo o poder de compra da classe trabalhadora, fome, pobreza e miséria aumentando e, pasmem, pessoas em fila de açougue atrás de ossos. Que país é este?

A classe trabalhadora e o povo brasileiro não merecem nem podem ser tratados assim. Não aceitamos reforma tributária que tira direitos dos trabalhadores! A luta faz a lei!”.

Miguel Torres, presidente da Força Sindical, da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes

As opiniões expostas neste artigo não refletem necessariamente a opinião do Rádio Peão Brasil

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS

QUENTINHAS