Colunista Jorge Nazareno ( Jorginho)

Agosto de luta

O mês de agosto começa com mais mobilização contra a reforma da Previdência. As centrais articulam um calendário de lutas para reforçar a posição contrária a retirada de direitos.

Cortes na Educação ameaçam futuro do país

Depois de uma década de expansão, a educação no Brasil está ameaçada. Principalmente no que que se refere ao processo de redemocratização de acesso.

Em direito de trabalhador não se mexe

As normas regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho estão em risco. Usando o argumento de que “há altos custos do emprego no Brasil em função de uma normatização absolutamente bizantina, anacrônica e hostil”, o governo anunciou que vai reduzi-las em 90%.

Vamos fortalecer a organização sindical dos trabalhadores

Mas um Sindicato só é forte, só será forte e participativo se contar com o apoio dos trabalhadores. Para isso, é necessário que todos participem da vida da sua entidade.

É preciso fortalecer a organização

É evidente a tentativa do Governo de desarticular a organização dos trabalhadores. Primeiro, com a reforma trabalhista, depois com o fim do Ministério do Trabalho, e, agora, querendo empurrar a todo custo uma proposta de reforma da Previdência que praticamente anula as chances do trabalhador se aposentar. Contra todos estes ataques a única saída é fortalecer a nossa organização.

Empregos ou direitos?

Não existe emprego sem direitos. Emprego sem direitos é exploração. Se está ruim para GM (General Motors), imagina para os trabalhadores? Líder de vendas no país, a montadora pretende arrancar dinheiro de tudo que é lado. Mesmo usufruindo de isenções fiscais, a empresa quer adotar mais de vinte medidas que vão contra os interesses dos trabalhadores como forma de cortar gastos.

Vamos fortalecer a negociação

Vamos redobrar a pressão sobre as fábricas deste grupo para garantir o acordo com base no parâmetro aprovado com os grupos já fechados. Até o momento temos reajuste e convenção garantidos para os grupos G3 (Sindipeças, Sindiforja e Sinpa), Simefre (materiais e equipamentos ferroviários e rodoviários) e Sinafer (artefatos de ferro, metais e ferramentas em geral).

Nosso compromisso é com a democracia

Defender a democracia significa ampliar em todos os níveis a participação popular nas decisões sobre os destinos do Brasil. Nossa defesa tem que ser por um governo que reconheça seu papel de indutor da economia, do desenvolvimento da cidadania e de uma sociedade mais igualitária para todos, sem privilégios.

Defenda seus interesses

São Paulo e o Brasil necessitam de governantes que estão dispostos a dialogar, discutir propostas que vão ao encontro do interesse dos trabalhadores, como melhorias na educação, na saúde pública, e, claro, na geração de empregos. Sobre a nossa campanha, a categoria também precisa que os seus direitos sejam respeitados, por isso, a presença dos companheiros no seminário de sábado, 20, é de extrema importância para o conjunto da categoria.

Estamos com quem defende nossos direitos

Por isso, a diretoria do nosso Sindicato fechou posição em apoio a Fernando Haddad e Márcio França. Entendemos que este caminho tem proposta clara para geração de emprego e renda, que ele sinaliza o respeito aos direitos humanos, os direitos dos mais pobres, dos trabalhadores.