PUBLICADO EM 17 de nov de 2017
COMPARTILHAR COM:

Filmes para o dia da Consciência Negra

No calor da noite

Por Carolina Maria Ruy

A pretexto do dia Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro, pensei numa pequena lista de filmes sobre o tema. Tentei listar bons filmes que abordam a situação dos negros de forma interessante, inteligente e pertinente, entre eles “Mississipi em Chamas”, o primeiro que me veio à mente. Filmaço! É o espírito cruel e perverso da Ku Kux Klan. Outro é “No Calor da Noite”, com o Sidney Poitier – elegante e atemporal, mostra como o racismo é inútil e nocivo até para o racista. “Capitão Phillips”, embora tenha como tema central a história de um sequestro e resgate em alto-mar, coloca a situação social da Somália como pano de fundo, nos levando a pensar nas razões que empurram aqueles garotos para a pirataria.

Capitão Phillips

Há também a série “American Crime Story”, sobre a história do jogador O.J. Simpson, que aborda o racismo como um trunfo retórico usado para vitimizar o jogador, ludibriar o júri e livrá-lo da acusação de assassinato.

Se fosse abrir o leque gostaria de mencionar algumas telenovelas. A questão dos negros nas novelas é um tema vasto, que merece ser estudado. Temos a clássica “Escrava Isaura” (confesso que não vi, não é do meu tempo), sobre uma escrava de pele branca. Há também uma novela excelente, de 2012, da Globo, chamada “Lado a Lado”. Ela se passava na época da abolição e da proclamação da República e abordou com muita sensibilidade a dificuldade dos ex escravos em se integrarem à sociedade. Lembro de uma cena em que um jovem negro mostra que é ótimo jogador de futebol, esporte de brancos, e, para não perdê-lo no time os outros jogadores, filhos de famílias ricas, pintam de branco o rosto do negro.

Vamos à lista, em ordem cronológica. Cada um destes filmes merece ser visto e revisto com atenção. Mais do que filmes sobre a consciência negra, são filmes sobre relações humanas.

 

Rio, 40 graus, 1955, direção de Nelson Pereira dos Santos, inaugurou o Cinema Novo, no Brasil

Rio Zona Norte, 1957, também de Nelson Pereira dos Santos

Orfeu negro, ou Orfeu do Carnaval, 1959, direção Marcel Camus

Adivinhe Quem Vem Para Jantar, 1967, direção de Stanley Kramer.

No calor da noite, 1967, direção Norman Jewison.

Queimada, 1969, direção Gillo Pontecorvo.

Xica da Silva, 1976, direção Cacá Diegues.

Quilombo, 1984, direção Cacá Diegues

A cor púrpura, EUA, 1986, direção Steven Spielberg.

Bird, 1988, direção Clint Eastwood.

Mississipi em Chamas, 1988,  direção Alan Parker.

Malcolm X, 1992, direção Spike Lee.

Segredos e Mentiras, 1996, direção Mike Leigh.

Colors, As Cores da Violência, 1998, direção Dennis Hopper.

Hurricane – O Furacão, 1999, direção Norman Jewison.

Mauá – O Imperador e o Rei, 1999, direção Sérgio Rezende.

Ray, 2004, direção Taylor Hackford.

Invictus, 2009, direção Clint Eastwood.

Histórias Cruzadas, 2011, direção Tate Taylor.

Django Livre, 2012, direção Quentin Tarantino.

Capitão Phillips, 2013, direção Paul Greengrass.

12 Anos de Escravidão, 2014, direção Steve McQueen.

Selma, 2015, direção Ava DuVernay.

Moonlight: Sob a Luz do Luar, 2016, direção Barry Jenkins.

Estrelas Além do Tempo, 2017, direção Theodore Melfi.

 

Assista o trailer de Mississipi em Chamas e de Invictus

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS

QUENTINHAS