PUBLICADO EM 02 de dez de 2017
COMPARTILHAR COM:
Colunista Eduardo Annunciato Chicão

A unidade na luta deve superar qualquer divergência

As Centrais convocaram, no dia 24/11, uma Greve Nacional para dia 05/12. Isso por que dia 5 seria a véspera da votação da reforma da previdência.

Pois bem, a votação foi suspensa segundo noticiado pelas centrais. Sendo esse fato real, não há porque manter a Greve para 05/12.

Mas isso não nos impede de organizar e participar de atos e mobilizações contra as reformas.

Vamos agitar o povo acordar os que ainda estão dormindo. Creio que devemos enfatizar que esse recuo do Congresso ocoreu, em parte pelo medo das eleições de 2018 e, em parte pelo estrago que faríamos à imagem daqueles que votassem a favor da reforma da previdência.

Esse posicionamento dos sindicatos é fundamental pra manutenção da unidade, haja vista que o Governo golpista está reunindo forças pra uma nova investida.

Temos que reagrupar e evitar acusações internas. Isso, além de não agregar, acaba diluindo o que já não estava devidamente consistente.

A maioria do movimento sindical já avaliava que era prematuro o chamado de uma greve para dia 05/12. Houve vários questionamentos quanto ao tempo, pressa, riscos envolvidos etc. Mas assumimos a unidade como fundamento principal e fizemos o possível pra mobilizar a Greve Nacional.

Essa suspensão frustra? Sim frustra, como tantos outros erros ou equívocos cometidos ou que possamos cometer… Porém nos dá tempo pra avançar na aglutinação da massa e na ampliação da conscientização da classe trabalhadora.

VEJO COMO UMA OPORTUNIDADE‼

Temos que construir um movimento maior sem divisionismo ou desagregação pois o Governo Golpista, a mídia vendida, os Deputados vendilhões e a ignorância de parcela da população pode prejudicar nosso futuro.

A UNIDADE CONTINUA SENDO A CHAVE PARA A VITÓRIA.

Vamos demonstrar maturidade e admitir que não haverá “donos da verdade” se a reforma passar.

Temos que manter os trabalhadores alertas e reagir contundentemente, caso o governo insista em votar mais esse atraso.

Temos que impor a voz dos trabalhadores no Congresso Nacional… Esses Deputados tem medo, mas não tem vergonha.

SE ACENAREM COM VANTAGENS AOS VENDILHÕES ELES ENTREGAM ATÉ A MÃE‼

Por tudo isso, apelo ao movimento sindical que cumpra seu papel.

Aqueles que queiram manter suas deliberações, que mantenham! É justo. Muitas vezes não há espaço pra voltar atrás; Mas vamos nos respeitar em nome da manutenção do que é mais importante pra derrotar essas reformas malditas: NOSSA UNIDADE DE AÇÃO.

Assim que a pauta da Reforma da Previdência voltar à pauta de votação, nossa unidade na Luta deve superar qualquer divergência!

JUNTOS NA LUTA ‼

Eduardo Annunciato, Chicão, presidente do Sindicato dos Eletricitários de São Paulo e vice-presidente da Força Sindical

 

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS

QUENTINHAS